quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Liberdade

Liberdade é conseguir ter autocontrole. Controlar meus impulsos de fazer o que não é benéfico a meu corpo, mente e espírito. Não ser escrava das vontades.

Liberdade é precisar de quase nada para viver, seguindo o princípio bíblico de "tendo o sustento e com que nos cobrir, estejamos satisfeitos."  Não só saber viver... saber viver feliz com pouco.
Ter pouco em sentido material, no sentido de não acumular, de fazer uso do que tenho principalmente vivendo e proporcionando experiências.

Liberdade é conseguir parar de buscar entretenimento vazio o tempo todo.  É saber silenciar... viver em silêncio.

Liberdade é não me afetar com a maldade alheia, e com o julgamento alheio.  Mesmo quando vier nos gritos ofensivos da vizinha, que eu ignore sem que meu coração acelere, ou que me falte o ar, que eu saiba ouvir, sem sequer me incomodar. Quero essa serenidade quase que inabalável. Sei que tal conceito é impossível... mas que pelo menos seja possível quase sempre.

Liberdade é ser quem sou. Sem me forçar a nada para agradar, e sem fingir. Sem fingir essa felicidade que as pessoas conhecem, e poder ser feliz ao meu modo mais quieto e sereno.

Liberdade é maior condicionamento físico. É ir melhorando isso cada dia mais, que a idade não venha a me causar ainda mais limitação, que eu faça do meu corpo algo mais produtivo para usufruir melhor dele.
É ter capacidade de aprender, crescer. Não me impor limites. Com o pensamento que a maioria dos limites são temporários e possíveis de transpor.

É não ser obrigada a fazer atividades vazias só porque é costume.

É esse o caminho que quero trilhar.


Imagem retirada daqui

sábado, 23 de dezembro de 2017

Amar o próprio corpo, mesmo que não seja o que você queria.

Eu li em algum lugar recentemente a frase "Meu corpo é o veículo pros meus sonhos"
Acho que foi em alguma foto do IG da @mbottan.

Além disso, também vi a frase da atriz Mariana Xavier :
Resultado de imagem para mariana xavier não me orgulho de ser
"Eu não me orgulho de ser gorda, eu me orgulho de ter a consciência de que meu peso não mede meu valor. Sou muito mais que um número na balança."

Maravilhosa ela. Pensamento corretíssimo. Talvez nós saibamos de algumas falhas no nosso corpo. Falhas que talvez evidenciam problemas de saúde, inclusive. Porque quando estamos saudáveis somos certamente mais bonitos. Mas se não estamos com o corpo ou o rosto que queríamos, isso não é o fim do mundo.  Quando isso se torna o principal é muito perigoso, porque passamos a odiar nosso corpo, e se o odiamos, não cuidamos dele com carinho, não o respeitamos... existe até a possibilidade de ficar cada vez pior.

Mas nosso corpo nos apresenta possibilidades, podemos dançar, cantar, sentir prazer, ir a lugares. Mesmo se temos uma doença, como minha fibromialgia, ainda é meu corpo que apresenta as possibilidades na minha vida.  São minhas mãos e meu corpo que trabalham quando eu faço meu trabalho de intérprete de Libras.  É meu corpo que me permite abraçar, beijar, sentir.  Meu corpo possui os sentidos para me despertar sensações maravilhosas. Degustar sabores, admirar paisagens, sentir cheiros...
Ainda não sei se amo meu corpo, vejo tantas coisas erradas nele.  Mas estou começando a respeitá-lo e aceitá-lo. 
Agora consigo aceitar minha pele e quase não uso maquiagem mais. Também quase não uso chapinha. Uso o que preserve o meu bem estar, isso exclui saltos de 15 cm... fico com baixos ou sem nenhum... os que não me limitam. Roupas que não me limitam também, que me permitam movimentação, que mantenha a funcionalidade do meu corpo.

Ao cuidarmos melhor do nosso corpo ele fica mais bonito.  É mais fácil cuidar se o amarmos.
Meu corpo tem a possibilidade de evoluir, de ser mais forte. De me levar mais longe do que eu posso ir hoje. É o que eu quero. Cuidar bem dele, pra ele ficar cada dia melhor.

Mas além disso, lembrar que somos unidade. Está tudo ligado. E você não é só seu corpo. Sua mente, sua bondade, sua capacidade não pode ser vista ou medida por meio daquilo que se vê.  Você é muito mais, seus pensamentos, sentimentos.

Não se deixe levar por quem pensa que seu corpo é inapropriado, por quem é tão vazio por dentro, que precisa colocar todo o foco no exterior.  Você é mais.

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Mais um destralhamento quase concluído!

Cada dia que passa me desfaço de mais e mais coisas, e começo a observar as coisas paradas em casa e dar um destino a elas.
Infelizmente esqueci de tirar fotos, não me preocupei em postar, me preocupei em fazer!

O que ganhou novo dono ou foi descartado:

- Papéis inúteis(todo o tipo, na maioria anotações)
- TV antiga - estava a uns dois anos aqui sem ser ligada, é daqueles modelos antigos, gordinhos...
- Impressora quebrada - aparentemente sem conserto.
- Roupas que não uso, ou uso mesmo sendo acabadas, rsrs... tchauzinho!
- Utensílios de cozinha- estes abriram muito espaço, haviam panelas que eu não usava ou precisava e vários potes de quando fazia bolo no pote pra vender.
- Materiais de artesanato que não pretendo usar. - algumas coisas que eu fazia pra vender, dava muito trabalho e não me alegrava. Vale mais comprar quando necessário. Ainda falta me desfazer de mais algumas coisas.


A estante ficou mais vazia e recebeu uma plantinha natural pra alegrar!
O guarda-roupa ficou mais arrumado. Ainda ficaram 2 calças para "e se eu emagrecer"... eu sei que não é o ideal, mas eu sofro de efeito sanfona, então até que faz algum sentido.  E espero sair desse efeito maldito permanecendo no menor peso.




sábado, 9 de dezembro de 2017

Desculpe o transtorno... estou em reforma para melhor ME atender

Depois de 29 anos de vida, anos em que eu apenas sonhei. Anos que eu me senti presa a qualquer coisa que eu nem sei o que é.  Sentindo-me mal por ser quem sou. Tentando ser invisível.  Sentindo-me idiota a cada palavra dita, inútil em inúmeras ocasiões, sentindo que minha vida sempre seguia um fluxo que me levava onde eu não queria ir.  Apenas fazendo o necessário e me escondendo o resto do tempo. Aceitando a mediocridade. Aceitando o que os outros escolhessem.  Não tendo preferências por não ter experiências.   Não tendo especialidades... sabendo um pouco de muito, e muito de nada.  Depois de todos esses anos... de tantas quedas, de tantas dores. Dois anos em que a vida me torturou, e eu me torturei, tendo como ápice a perda do meu pai e um luto sem fim.   Depois de tudo isso, enfim, entendi algumas coisas. Aliás, entendi que não posso entender tudo.  Que não posso continuar levando as coisas tão a sério, e focando na parte negativa da vida.  Que não posso deixar simplesmente que meu desejo de ficar na cama vença tantas vezes.

Queria ter vivido assim desde sempre, mas agora já é um começo. É um despertar.
Não vejo mais motivos para me esconder, ser invisível. Também não vejo porque me mostrar.  Apenas ser.

Não quero mais falar só por falar... por obrigação. Vou agir como quiser agir, e silenciar quando for preciso. Ser gentil, claro... sendo eu mesma, sem forçar e sabendo observar a reciprocidade, sem me prender a ela.

Conhecer o melhor de mim:

Eu percebi algo na minha voz, no meu corpo e na minha fluência em outro idioma.  Quando eu era adolescente eu cantava muito.  Não cantava bem... rsrs... só que eu conhecia o que a minha voz fazia.  Eu dançava também... e conseguia fazer muito mais que hoje. Perdi a capacidade física.  Eu era fluente em inglês, e hoje embora eu reconheça uma boa pronúncia eu não consigo ter... perdi a capacidade.  Não conheço mais meu corpo, perdi a consciência corporal.  Agora eu quero saber até onde eu posso ir. Ser a melhor versão de mim em todos os âmbitos da minha vida.  Saber aquilo que meu corpo e minha mente são capazes de fazer.  Errar é melhor que não tentar.

Até a morte estarei lutando, caindo e levantando. Dando o que posso dar. E sabendo que meu limite é um pouco maior do que eu imagino. Aliás, antes de desistir, sempre tentar.  Fazer o que é possível, não ficar reclamando.

Tenho muitas coisas a aperfeiçoar... mas só aos poucos eu vou falando. Pra quê colocar uma lista de coisas não feitas, né não? Prefiro colocar as conquistas.

*******

Ontem o dia foi bom. Não liguei o computador, tv ou internet até mais ou menos 20h. Li muito.  Fiz muitas coisas. O dia foi bom.

Hoje me senti mal. Hoje tive impulsos e me alimentei mal. Hoje fui inútil, liguei internet e deitei... não saí do quarto a tarde toda.  Apenas deixei a casa e a louça limpa. Estou com dor de cabeça. Agora vim aqui terminar esse post. Não tem problema. Amanhã eu me levanto... aliás, acabei de me levantar vindo aqui. Estou mal... sem culpa por hoje. Vou fazer o que está ao meu alcance. Já é o suficiente. Já é o bastante.

Menos culpa... mais satisfação.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Minimalismo é coisa de rico/ Minimalismo é coisa de pobre

A maioria das histórias sobre simplificar a vida, desfazer-se dos excessos, as histórias dos minimalistas na mídia muitas vezes estão relacionadas a pessoas ricas. Pessoas que possuíam muito e aí de repente largaram tudo.
A casa minimalista que vemos por aí, tem móveis caríssimos.
As roupas minimalistas, para quem quer ter um estilo minimalista, são de um determinado tipo, aí você teria que trocar todo seu guarda roupa.
Então alguns pensam que é coisa de rico.

Não tem nada a ver com a sua conta bancária, tem  a ver com o modo que quer levar a vida, com deixar a vida leve.  Com analisar o que é essencial, o que é importante e viver com isso. 
Deixar claro algumas coisas:
-Você não tem que trocar seu guarda-roupa - se você percebe que seu estilo não é o que você usa, é muito possível trocar aos poucos conforme as suas roupas forem estragando. Pra quê a pressa?
- Sua casa não precisa ser nas cores preto, branco e cinza - use as cores que te faz feliz.
- Você não precisa viver com 100 itens - defina o que é essencial pra você
- Não tem que imitar ninguém -  esse item é o mais importante.

Outros, ao exporem seus poucos bens, são chamados de sovinas. Ainda alguns ao assistirem vídeos  dizem " Eu não sou minimalista, eu sou pobre mesmo!"

Eu sou pobre, mas cada vez que eu destralho minha casa sai coisas e mais coisas daqui. Então vamos aos itens em excesso que o pobre guarda:

- Roupas velhas: rasgadas, desbotadas, desgastadas, furadas, roupas íntimas, etc.
- Papel: recibos, resumos, matéria da faculdade ou da escola, revistas, etc
- Objetos de cozinha: potes plásticos quebrados ou rachados, potes de margarina e sorvete, panelas velhas que já não são mais utilizadas, eletrodomésticos que não gostamos de usar, panos que guardamos para futura eventualidade.
- Objetos não identificados : isso mesmo! Aquelas peças que você encontra perdida pela casa e não sabe de onde saiu, e guarda por anos achando que um dia vai descobrir de onde saíram.
- Coleções que não amamos mais, livros que nunca mais leremos, cds que não mais ouviremos.
-  Bibelôs... alguns ganhamos, alguns herdamos, outros compramos. E muitos não amamos.
-  Lembrancinhas de festas
-  Flores artificiais- que pegam poeira e dão muito trabalho pra limpar.
- Eletrodomésticos quebrados.

Eu vou falar a verdade aqui... eu guardo potes de margarina... pronto, falei! Mando mesmo comida pros amigos neles quando almoçam aqui e vão levar algo pra casa, eles também me servem pra misturar os cremes de cabelo ou tinta... tem as mais variadas utilidades. Dentro do saco de ração dos cachorros tem um pote de sorvete que eu uso pra pegar a ração. Mas eu fico com uma quantidade mínima guardada. Não faço coleção, rsrs.

Também tenho umas roupas em más condições para quando for pintar a casa ou fazer qualquer coisa que vá estragar a roupa. Mas fica só uma reservada pra isso.

Isso foi só pra vocês entenderem que o pobre também pode ser acumulador. Eu mesma tenho que ver os recibos que já não precisam ser guardados... uma daquelas tarefas que deixamos pra depois, e o depois nunca chega.

**

Simplificar a vida é pra quem quiser!

domingo, 19 de novembro de 2017

Faça o que te faz bem

Não o que você gosta, não o que seu corpo pede. Mas aquilo que te favorece

Seja bondoso consigo mesmo.  Cuide-se como cuidaria de um filho.

Sabe... eu tenho dois cachorros e um gato:

       

Muitas porcarias que eu como não daria a eles.  Porque eu os amo. Então dou ração. Fruta. Coisas naturais.

Então não é porque me faz feliz quando como, que me faz bem. Então é preciso fazer aquilo que nos faz bem... muitas vezes isso vai corresponder ao que nos agrada... outras vezes o que nos agrada nos faz mal. E se o que te agrada faz mal... pense bem, mude o caminho, faça o que te faz bem.
Vc gosta de ficar parado, de não sair de casa nunca, de se isolar, de comer porcaria, de assistir ou ouvir coisas que te trazem sentimentos ruins. Pare! Pense! Faça o que te faz bem.

Saia com seus amigos, experimente mais coisas saudáveis e mude seu paladar. Não tenha preguiça de aprender. Muito menos preguiça de amar. Desafie-se...
Faça o que te faz bem!

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Sair da rotina #1 Passeios

Sabe... eu sempre pensei: Nunca segui rotina pra poder sair dela.

Mas, pensando bem, a minha rotina era a inércia.  Agora... eu quero ser ativa... Acho que já falei disso por aqui.  Em todos os sentidos... Mas hoje eu queria falar sobre viver coisas novas. Ver lugares bonitos.

Fazer a vida bonita é ver o que é bonito também.

Fomos a Vista Chinesa... sabe, vou confessar pra vocês... eu não tava tão a fim de ir.  Mas a ideia foi minha, marido apoiou, pegamos biscoitos e frutas e fomos.



Lá paramos na cachoeira dos macacos...



Depois fomos ao planetário... que não tinha grandes exposições... mas a sessão de cúpula valeu a pena.  É lindo assistir as estrelas no teto redondo... parecia que estávamos deitados na roça, olhando pro céu super estrelado como eu nunca vi de verdade.

Ah... e este fim de semana vivemos outra experiência agradável, e levei meus irmãos:

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e área interna
Cena do musical Dançando no Escuro.

Está aqui no RJ, última semana, aos domingos tem acessibilidade, fones com áudio descrição, programa em braile e intérprete de Libras.(Que não sou eu... acho que já podem começar a me contratar pro teatro, pessoal, tô aceitando! rsrs)

Pra quem é do Rio, é no Sesc Ginástico, essa é a última semana... então, se gosta de musicais, aproveite!!!